Fies: Confira algumas informações necessárias antes de solicitar o empréstimo

Publicidade

O financiamento estudantil tem sido cada vez mais uma alternativa para quem deseja cursar uma faculdade. Porém, algumas pessoas ainda tem inseguranças a respeito do programa, principalmente após as mudanças que ocorreram no ano anterior. Afinal, vale a pena solicitar o empréstimo do Fies?

Muitos estudantes não conseguem uma bolsa estudantil, seja em uma faculdade pública ou em uma faculdade privada e seu último recurso acaba sendo pagar para estudar. Mesmo com programas que possibilitaria o ingresso no curso superior, as bolsas são extremamente concorridas.

Fies: Confira algumas informações necessárias antes de solicitar o empréstimo.

Os projetos públicos que auxiliam no acesso aos cursos superiores são:

Sistema de Seleção Unificada – Sisu

Com esse programa os estudantes concorrem a bolsas de estudos para universidades públicas utilizando a nota do Enem. Esse programa é administrado pelo Ministério da Educação.

Programa Universidade Para Todos – ProUni

Esse programa oferece bolsas de 50% e 100% em universidades particulares.

Fundo de Financiamento Estudantil – Fies

Oferece a estudantes um financiamento de cursos superiores privados. Para consegui esse financiamento, é preciso passar por uma avaliação do MEC antes.

Porém, muitos estudantes ainda tem muitas dúvidas referente ao Fies, principalmente pela quitação do parcelamento. Além disso, algumas pessoas aderem ao programa sem saber como será futuramente.

No que você está se enfiando?

Assim como o nome já diz, o Fies é um meio de financiamento estudantil feito por bancos privados e públicos do qual o estudante paga por este empréstimo depois de finalizar os estudos e com acréscimo de juros – assim como com qualquer outro empréstimo.

Devido à alta inadimplência, em 2016 o Governo Brasileiro decidiu fazer algumas mudanças no programa e então surgiu um novo modelo de Fies. No modelo anterior somente agências bancárias públicas podiam realizar o financiamento, mas com as alterações realizadas no meio de 2018, agências bancárias privadas também podem disponibilizar o financiamento.

Há duas modalidades no novo Fies:

  • A modalidade Fies: Para acadêmicos que comprovaram uma renda familiar per capita de até 3 salários mínimos, os juros são zero. Nesta modalidade, o usuário passa a pagar as parcelas conforme a sua renda.
  • Modalidade P-Fies: Essa modalidade é para estudantes que tem uma renda per capita familiar de até cinco salários mínimos. Nesta modalidade, os usuários pagam os juros e podem solicitar o financiamento em bancos privados que apoiam e fornecem a modalidade.

A admissão do empréstimo

O aluno que desejar participar da seleção para ingressar no programa, devem passar por um procedimento que precisa da nota do Enem para a aprovação. A lista de aprovados sai no início e no meio do ano letivo.

Após a etapa de seleção vem a etapa de admissão do empréstimo. Aqueles que conseguiram o financiamento na modalidade Fies não precisará pagar as tarifas acrescentadas, porém, pagará a quantia básica financiada. Portanto, nessa modalidade, quem quita o empréstimo é o Tesouro Nacional através dos bancos públicos.

Os que ingressaram na modalidade P-Fies podem solicitar o financiamento em agências bancárias privadas que fazem parte do programa. Porém atente-se: os juros e expirações alteram conforme o banco escolhido e as condições são definidos por eles.

Como o pagamento é realizado?

Outra alteração realizada após o período de carência para a quitação. Os consórcios feitos entre 2015 e 2018 têm uma carência de 18 meses para começar a pagar. Ou seja, o estudante só começa a pagar a dívida após 18 meses depois de se formar.

Os contratos recentes não possuem carência, ou seja, os recém-formados que possuem uma renda inicia a quitação do financiamento após o primeiro mês da conclusão. Essa quitação é descontada diretamente na folha de pagamento.

Em casos de não possuir a renda ou estar desempregado durante o pagamento das parcelas, as prestações serão cobradas mensalmente semelhantes ao pagamento mínimo. Para saber mais informações de juros cobrados, procure o banco que fez o contrato.

Vale lembrar que a data limite de pagamento, dependerá do acordo feito. Porém o MEC oferece um período de 14 anos para a quitação do financiamento.

Quais as informações que ninguém repassa

  • O pagamento pode ser feito anterior a formação?

Sim, é possível fazer o pagamento antes de finalizar o curso se desejar. Porém é alternativo. Também é possível fazer o pagamento de uma parcela maior que a esperada. Procure o banco que firmou o acordo.

  • Quito após finalizar o curso, né?!

Sim. Porém isso não quer dizer que durante estiver cursando, que nada deve ser quitado. Apesar do pagamento do financiamento ser feito em seguida a formação, no decorrer do curso, o estudante deverá pagar mensalmente a quantia de encargo ocupacional combinado com o banco.

Além do mais, o estudante também deve fazer um seguro de vida, que terá que ser pago no decorrer do financiamento ou no decorrer do curso. O estudante deve ser responsável por esse seguro.

  • E se haver desistência do curso?

Ao admitir o financiamento, os alunos devem estar cientes que deverá pagar! Mesmo tendo desistido no decorrer do percurso. Porém é possível solicitar uma suspensão, temporariamente. Para isso, o usuário do programa deve procurar a Comissão do Fies da universidade onde cursa.

  • Há reajustes no financiamento?

Sim, tem! Os reajustes serão informados no ato do contrato (condições, juros…).

  • Há formas de renegociação?

É possível renegociar. Com o novo Fies é permitido renegociar os valores de contratos feitos até o segundo semestre de 2017. Aqueles que já estão a 90 dias com o pagamento da parcela atrasado, também pode renegociar essas dívidas até dia 31 de dezembro de 2019.  mesmo deve procurar a agência onde realizou o contrato.

Os usuários do programa terão a opção de reparcelamento, onde o pagamento dos débitos pode ser pago em até 48 mensalidades. Ou o reescalonamento, que permite diluir as dívidas atrasadas em mensalidades que ainda vão vencer.

Com todas essas exigências é importante prestar atenção aos detalhes antes de firmar um acordo com o Fies Confira as condições antes de se decidir.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Scroll to Top